Razão de ser...

Razão de ser
Nesta cidade, cujo patrono é o ilustre poeta Bocage,
onde sempre existiu forte tradição poética,
com movimentos formais e informais de poetas e escritores,
faz todo o sentido a existência de uma Associação Cultural
que reúna os poetas numa "Casa da Poesia"
_________________________________
Objetivos da Casa (Consultar em rodapé)

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Momento Poético


No passado sábado, dia 22 do corrente, na Casa da Cultura de Setúbal, teve lugar mais um agradável momento de Poesia promovido  pelo Centro de Iniciativas Manuel Medeiros, da Universidade Sénior desta cidade.
Assim se ficou a conhecer melhor a interessante obra poética do escritor, pintor e professor da Uniseti, António Galrinho.

Além da expressiva leitura dos poemas, houve também espaço musical que a todos muito agradou.
                              
                                                              Foto de António Quaresma Rosa

O espelho mentiroso


Foste tão fiel durante tantos anos
Por que me mentes agora?

Não são meus os cabelos que me mostras
(poucos e quase todos brancos)
Por que mos arrancas?
Por que mos pintas?

Essa velhice não é minha
espelho mentiroso!

O rosto pesado
as peles flácidas
os golpes na testa e nos olhos
nada disso é meu

Não me mostres o que não reconheço
Mostra-me a idade que tenho
aquela que nem os números sabem

Tentas iludir-me
mas não me deixo levar pelas tuas manhas

Não mereces que olhe para ti
Espelho cruel!
                                         
                  António Galrinho
                                         

                       

Sem comentários:

Enviar um comentário