Razão de ser...

Razão de ser
Nesta cidade, cujo patrono é o ilustre poeta Bocage,
onde sempre existiu forte tradição poética,
com movimentos formais e informais de poetas e escritores,
faz todo o sentido a existência de uma Associação Cultural
que reúna os poetas numa "Casa da Poesia"
_________________________________
Objetivos da Casa (Consultar em rodapé)

quinta-feira, 26 de junho de 2014

Citação poética

" Às vezes ouço passar o vento; e só de ouvir o vento passar,
  vale a pena ter nascido "

(Fernando Pessoa)

terça-feira, 24 de junho de 2014

Poema - Sombras

Sombras

A meio desta vida continua a ser
difícil, tão difícil
atravessar o medo, olhar de frente
a cegueira dos rostos debitando
palavras destinadas a morrer
no lume impaciente de outras bocas
anunciando o mel ou o vinho ou
o fel.

Calmamente sentado num sofá,
começas a entender, de vez em quando,
os condenados a prisão perpétua
entre as quatro paredes do espírito
e um esquife negro onde vão desfilando
imagens, só imagens
de canal em canal, sintonizadas
com toda a angústia e estupidez do mundo.

As pessoas - tu sabes - as pessoas são feitas
de vento
e deixam-se arrastar pela mais bela
respiração das sombras,
pela morte que repete os mesmos gestos
quando o crepúsculo fica a sós connosco
e a noite se redime com uma estrela
a prometer salvar-nos.

A meio desta vida os versos abrem
paisagens virtuais onde se perdem
as intenções que alguma vez tivemos,
o recorte obscuro de perfis
desenhados a fogo há muitos anos
numa alma forrada de espelhos
mas sempre tão vazia, sem abrigo
para corpo nenhum.

Fernando Pinto do Amaral, in 'Pena Suspensa'

segunda-feira, 23 de junho de 2014

Tempo da travessia

Este é o tempo da travessia no alvorecer de um novo projeto.

A Associação Casa da Poesia de Setúbal conta agora com um Blog e página no Facebook, assim se pretendem descobrir novos caminhos que nos levem a outros lugares, novos autores, novas formas de dizer poesia. A palavra, o reencontro, a chama de cada poema aquecendo o pensar ao redor dos livros, dos autores e da poesia.

Prof. Fernando Paulino

Somos Silêncios Habitados Por Dentro

"Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas que já têm a forma do nosso corpo, e esquecer os nossos caminhos que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia; e se não ousarmos fazê-la, teremos ficado para sempre, à margem de nós mesmos."

(Fernando Pessoa)

sexta-feira, 20 de junho de 2014

Manhã de poesia












Assim nascem os sonhos!

Um sonho pequeno
Foi germinando na mente
De dois ou três,
Abriram-se alicerces, ergueram-se paredes
Com tijolos passados de boca em boca.

O sonho cimentado deu-lhe forma.
Pela sua chaminé brotam idéias,
Traçam-se riscos e rabiscos
Projectos e certezas.

A Casa da Poesia, menina de tenra idade
Tem pernas e começa a dar os primeiros passos
Sua porta é feita de letras
E de palavras coloridas é feito o seu interior
Sua fachada é bordada de poemas.

Olhamos...e ei-la! Aberta de par em par
E convida-nos a entrar.
A cidade está de parabéns.
Os poetas também.

Porque o sonho de dois ou três
Já é uma realidade!

06-06-2014
Deo.