Razão de ser...

Razão de ser
Nesta cidade, cujo patrono é o ilustre poeta Bocage,
onde sempre existiu forte tradição poética,
com movimentos formais e informais de poetas e escritores,
faz todo o sentido a existência de uma Associação Cultural
que reúna os poetas numa "Casa da Poesia"
_________________________________
Objetivos da Casa (Consultar em rodapé)

terça-feira, 9 de setembro de 2014

O Sonho

E de repente o luar.
O luar que brilha numa luz incandescente,
Brilha como se não houvesse amanhã,
Como o chão fugir sob os pés
E então voar... sonhar...
Sonhos são como realidades por viver,
Desejos imaginados, desejos sentidos,
Impossíveis de viver... ou talvez não.
'Dejá vus' de uma vida não vivida,
Sonhados já mais do que uma vez,
Lembrados ao fechar dos olhos
Já cansados, pesados.
Ao raiar do sol tudo ficou esquecido,
O despertar do dia salva-nos dos sonhos,
Daqueles desejos por concretizar.
Seguimos como pássaros em grupo,
Voamos sem medos, a fugir deles.
Seguimos mais alto.
Para esquecer o ontem, pensamos no amanhã,
Sonhamos com o amanhã.
Soldados, vivemos em guerras,
Guerras de nós próprios,
Guerras de paz, de sentimentos.
Lutas ganhas, lutas perdidas,
Lutadas com forças que jamais pensámos ter.
Ousamo-nos em tempestades,
Ventos que vêm de nós, contra nós.
E saímos ilesos... vencedores.

E de repente... o luar!



Tânia Silva (Loures)

Sem comentários:

Enviar um comentário